quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A história dos Notebooks

Esse post é uma colaboração da equipe do Magazine Luiza ao blog Indicativo Web.

O notebook é, hoje, um desejo de consumo para os amantes da tecnologia e um objeto essencial para muitos que dependem do mesmo para trabalhar. É um sinônimo de praticidade, inovação e comodidade. Mas nem sempre os notebooks foram assim tão práticos, basta vermos um modelo do ano 2000 e já sabemos apontar milhões de diferenças tanto no design quanto nas configurações. Então já imaginou as diferenças dos primeiros modelos se comparados com os mais atuais?

Tudo começou por volta do século XIX, acredite se quiser, quando o matemático inglês Charles Babbage, em 1882, terminou seu projeto de uma máquina de calcular, que acabou se tornando a precursora das calculadoras digitais e do computador. A máquina de Babbage reproduzia os resultados das somas, subtrações, divisões e multiplicações em cartões perfurados ou em papéis impressos pela própria máquina. Depois de mais de um século do surgimento deste invento, os computadores já faziam parte da realidade tecnológica de empresas, mas não do cotidiano dos indivíduos, pois não ofereciam uma facilidade para serem transportados. 

Foi em 1981 que o primeiro computador portátil surgiu, quando a empresa Osborne criou o Osborne 1. O aparelho vinha em um estojo, podendo ser carregado como uma mala, mas precisava ser ligado diretamente na tomada para ser utilizado, para, depois de um tempo, funcionar com uma bateria que durava por uma hora. Este computador possuía um monitor de 5 polegadas e custava em torno de US$ 1.800,00, pesando 11kg – e hoje encontramos notebooks, além de muito finos, super leves para facilitar a locomoção. Já imaginou ficar carregando um computador de 11kg?


Foto: Osborne 1/Reprodução


Mas depois do surgimento do Osborne 1, a evolução foi natural. Em 1982, a empresa Compaq criou o primeiro computador portátil compatível com o IBM PC (referência em desktop até então), algo que o Osborne 1 não possuía, e suas configurações permitiam que fosse dotado de um sistema operacional DOS. Apesar do seu preço, que chegava a U$ 3.500,00, sua compatibilidade fez do aparelho um sucesso e promoveu a marca Compaq. Em 1984, a IBM lançou um modelo que pesava menos que a metade do pioneiro da Osborne, e que já contava com uma entrada para impressora e 256KB de memória RAM, algo impressionante para a época. E foi em 1985 que surgiu o primeiro notebook dobrável, o TRS-80 model 200 da Radio Shack.

Foto: Compaq/Reprodução

Foto: IBM PC/Reprodução


Foto: TRS-80 model 200/Reprodução



Foto: iBook/Reprodução


Já na década de 90, muitas outras características foram adaptadas para os computadores portáteis, como o CD-ROM e os mouses, que passaram a ser integrados ao teclado dos notebooks. A Compaq lançou, nesse período, um modelo que contava com tela VGA – até então, todos os monitores eram monocromáticos. E foi também na década de 1990 que a IBM introduziu o modelo de teclado apelidado de “borboleta”, como uma forma de solução para o problema de teclados muito restritos. 

Desde então, muitas outras tecnologias foram integradas aos notebooks, hoje consideradas indispensáveis para a compra de um aparelho portátil. Estes se tornaram tão completos e modernos que muitas pessoas já trocaram os computadores desktop por notebooks tranquilamente, o que mostra que os aparelhos possuem uma capacidade completamente cabível em muitos casos, além de possuírem a praticidade de locomoção, permitindo que o usuário sempre mude de ares quando sentir vontade. 


Designed By Blogger Templates